Post 39- O que houve com o blog?

tempoDiante de tantas situações novas em minha vida, acabei deixando de lado o blog. “Você não tem vergonha de admitir isso?”. Não, eu não tenho. Na verdade, a vida nos coloca em caminhos, com nossas permissões ou não, e isso faz com que tenhamos que fazer escolhas. Afinal, é isso que a vida é, um trajeto cheio de opções, e temos que optar por elas em cada momento. Algumas opções podem reaparecer, outras não. O problema disso tudo, como muitos sabem e muitos passam pelo mesmo problema, é o tempo. Se procurar a definição de tempo na internet vai encontrar “duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro; período contínuo no qual os eventos se sucedem”, ou também “certo período da vida que se distingue de outros”, existem muitas definições, mas uma especificamente cabe aqui:  Período contínuo no qual os eventos se sucedem. Pois é, se analisar bem verá que cada coisa, ou evento, acontece em cada momento de nossas vidas. O próprio Salomão descreveu em Eclesiastes: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.”

Então há tempo para tudo, até mesmo de perder. Ninguém vence tudo. E nesse caso, o dia tem 24 horas. Na verdade, em todos os casos na terra o dia tem 24 horas, mas para que possamos situar, o dia tem 24 horas. Sempre. Então não que o tempo seja menor, o tempo é o mesmo. Só tenho mais coisas para fazer dentro do mesmo espaço de tempo.

Eu escrevo porque gosto de escrever, não por obrigação. Escrever aqui no blog por obrigação seria uma coisa muito chata de se fazer. É como trabalhar em algo que não gostamos. E pelo menos no blog posso fazer somente o que gosto e vou continuar assim.

O blog não vai acabar. Apenas vou escrever quando tiver tempo e quando tiver algo a dizer que valha a pena. Sem periodicidade, sem regras, sem obrigação nenhuma.

Até mais!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s