Post#30 – Quanto mais mangá melhor: Dragon Ball

dball42Post 30 que eu havia reservado para o momento em que Dragon Ball acabasse pela Panini está atrasado, por isso o 30 fora de ordem. Demoro, mas não tardo. =)

Acompanhei essa última versão da Panini de Dragon Ball e terminei de ler os 42 volumes. Antes Dragon Ball foi publicado pela Conrad em meio tanko, e começou uma versão definitiva, aquela colorida e tal, mas não foi pra frente. Uma pena, porque era uma versão bem bacana.

O fim desse mangá, e o fim de sua leitura despertou a vontade de escrever um post sobre a série, mas o que escrever exatamente sendo que tudo sobre Dragon Ball pode ser encontrado na internet simplesmente digitando em sites de busca. Até mesmo porque, está sendo exibido no Japão a anime Dragon Ball Super. Enfim, vou só escrever um pouco do que penso sobre a série e vamos ver o que vai ser desse texto, se claro você leitor tiver paciência de ler até o fim.

definitivaFui conhecer Dragon Ball através do anime quando passava no SBT, que pensando agora me parece zilhões de anos atrás. Mas claro que não foi tanto, né? Sou novo ainda. Depois assisti a fase Z do anime na TV Bandeirantes, mas não assisti a série inteira. Completa mesmo somente a fase Dragon Ball, no SBT. Até que a Panini resolveu republicar o mangá que dessa vez não deixei passar e li do começo ao fim. Eu tentei colecionar a versão definitiva da Conrad, mas foi cancelada, então não podia perder essa nova oportunidade.

Uma coisa é certa sobre Dragon Ball: Foi escrito pelo autor Akira Toriyama com a finalidade de fazer as pessoas rirem, ou seja, é uma leitura totalmente despretensiosa e divertida, apesar de ser extremamente detalhista. E sim, ele é um autor de comédia, dê uma olhada em Dr. Slump, série anterior a Dragon Ball. Apesar de o gênero ser comédia e ter muita porrada com aqueles poderes absurdos, o autor conseguiu criar um novo universo com diversos elementos existentes somente ali, desde personagens muito bem caracterizados e únicos (apesar de existir muita cópia da personalidade de Goku nos mangás que vieram depois), meios de transporte, incluindo a nuvem voadora nesse quesito, os poderes de luta conhecido aqui como Ki, naves espaciais, seres de outros planetas, seres muito malignos e seres muito bons com extrema ingenuidade. Poderíamos citar inúmeros elementos que definem Dragon Ball.

piccoloA maioria dessas características todo mundo já conhece, assim como o traço inconfundível do autor, mas vale ressaltar que apesar de uma comédia, o Toriyama coloca diversas lições para se aprender durante esses 42 volumes de história. Ainda mais em um mundo em que vivemos hoje, onde as pessoas não respeitam umas as outras e ao invés delas mudarem, estão cada vez mais mal educadas e não respeitando os seus limites e nem mesmo os limites dos outros. Não generalizando, claro, mas existem cada vez mais pessoas assim.

VegetaUma coisa em que acredito, apesar dos pesares, é no poder de transformação de uma pessoa, de um ser humano. Quem já leu a bíblia pode ver ali descrito o poder de transformação de pessoas. E não estou falando somente como religião, a bíblia é um livro rico em diversos aspectos, assim como o alcorão, só para citar como exemplo. Apóstolo Paulo é uma dessas pessoas, pois passou de perseguidor e assassino de cristãos para um cristão convicto, o qual escreveu diversas cartas que formam o novo testamento. Obviamente alguma coisa o influenciou para que houvesse essa mudança na vida de Paulo, no caso a visão que o mesmo teve. Poder de transformação da água para o vinho.

GokuVsVegetaAo ler Dragon Ball penso que Akira Toriyama acredita no poder de transformação de pessoas, ou simplesmente não queria se desfazer de alguns personagens por eles serem muito bons. Mas vou acreditar na primeira opção e vou explicar. O autor usa personagens, não só o principal, mas secundários, pois eles são muito envolvidos na história, para mostrar outra maneira de pensar para pessoas que tinham uma ideia diferente e errada aos olhos do mundo, pois suas atitudes eram opostas a de boas pessoas. Pois essas pessoas matavam, invadiam espaços alheios, como o próprio planeta terra, o qual não pertencia a eles. Estou usando o senso comum aqui, obviamente matar alguém não é uma coisa boa.

Não são poucos os personagens que trocaram de lado, e não só por esses motivos citados acima. Como exemplo tome os personagens Picolo e Vegeta, ambos tinham um objetivo visto de forma ruim pelos habitantes do planeta terra, e ambos motivos eram egoístas.

dragon-ballAmbos eram poderosos e pessoas muito más, que com o poder da amizade entre Goku e seus amigos, e até mesmo o jeito de ser de Goku cativou-os para que mudassem para pessoas melhores, tornando os amigos, e até mesmo fazendo parte do ciclo de relacionamento de Goku e seus amigos. Por esse e alguns outros motivos um dos temas que se pode perceber em Dragon Ball é o poder de transformação de pessoas e é algo que o mundo está precisando hoje, mais do que nunca.

Dragon Ball vai deixar saudades, mas tenho uma pilha com outros títulos para ler ainda, e que nunca diminui. Quem sabe ali tenha outra boa história onde pode mostrar boas influências ou que nos façam pensar e nos divertir tanto quanto Dragon Ball fez.

Até mais!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s